sexta-feira, 5 de setembro de 2008

Demolição de terreiro terá julgamento em outubro


MAIZA DE ANDRADE
Se condenados, os quatro acusados de preconceito religioso no caso da demolição do terreiro de candomblé Oya Unipo Neto poderão pegar de um a três anos de reclusão e multa, conforme informou o juiz da 9ª Vara Crime, Edmundo Lúcio da Cruz. Ontem, em audiência de instrução, ele ouviu as testemunhas de acusação e anunciou para o dia 24 de outubro o julgamento do processo.
Entre os réus, está a secretária municipal do Planejamento, Kátia Carmelo, que autorizou a demolição do templo, sob a alegação de ter sido construído em área pública.
Carmelo deixou a sala de audiências pelos fundos e não falou com a imprensa. O advogado dela, Flávio Nun’Alvares disse que ela foi orientada a não falar para evitar exploração política e “associação da figura dela a João Henrique” (prefeito e candidato à reeleição).
O terreiro foi demolido no dia 27 de fevereiro por prepostos da Superintendência de Controle e Ordenamento do Uso do Solo (Sucom), órgão do qual Carmelo era titular à época. A Justiça foi acionada pela Promotoria de Combate ao Racismo e à Intolerância Religiosa. As ialorixás mãe Rosa e mãe Ana falaram dos prejuízos, principalmente pela perda dos objetos sagrados usados nos rituais. “Foi uma vergonha para a Bahia”, disse mãe Ana.
Fonte: A Tarde

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | JCpenney Printable Coupons