segunda-feira, 6 de outubro de 2008

Ministro descarta emergência por atos racistas


MILÃO, 5 OUT (ANSA) - O ministro do Interior italiano, Roberto Maroni, descartou que exista no país uma questão de emergência relacionado ao racismo.
"Não acredito que exista uma emergência de racismo. Há episódios que devem ser combatidos e que serão combatidos", afirmou Maroni.
O ministro recordou o caso da mulher somali que denunciou ter sido humilhada pela polícia no aeroporto de Roma.
"Há exageros, como o da senhora somali, que serão combatidos do mesmo modo" como o racismo é combatido, garantiu.
Amina Sheikh Said, uma mulher somali de 51 anos, cidadã italiana, denunciou que em 21 de julho passado foi vítima de maus tratos no aeroporto romano de Ciampino, enquanto voltava de Londres com seus netos.
Após ter sido acusada de ter raptado as crianças, ela foi "ofendida e discriminada", e a polícia tomou-a como uma 'mula', pessoa que serve para transportar drogas.
A mulher afirmou que a polícia e a agência alfandegária disseram que se ela "não seguisse as nossas ordens, mandamos você para um manicômio"; "é negra por dentro e por fora". (ANSA)

Fonte: Ìrohìn

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | JCpenney Printable Coupons