segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

Sede de ong na Serrinha foi destruída pela polícia em operação


RIO - A coordenadora-executiva da ONG Grupo Cultural Jongo da Serrinha, Dyone Chaves Boy, disse que, durante operação no Morro da Serrinha na sexta-feira em Madureira, a polícia invadiu a sede da entidade, destruindo móveis e revirando armários. Segundo uma funcionária da ONG, os policiais transformaram a sede da ONG numa base para a operação que resultou na morte de dois supostos traficantes e na apreensão de 200 quilos de maconha e armas, no Morro da Serrinha.


- A polícia invadiu várias casas de moradores e também a sede da nossa ONG. As aulas foram suspensas. Ainda não tivemos condições de calcular os prejuízos porque o clima no local está muito tenso - afirmou Dyone.


As denúncias já mobilizaram até o desembargador Siro Darlan, da 7a Câmara Criminal do Tribunal de Justiça, que condenou a política de confronto do governo do estado nas favelas.


Presidente do Conselho Estadual de Defesa dos Direitos das Crianças e dos Adolescentes, Siro Darlan lembrou que "o Jongo da Serrinha é um dos mais tradicionais grupos de cultura do país tendo recebido diversos prêmios por seu trabalho artístico e social. Com 40 anos de história, o grupo de Madureira foi fundado por Mestre Darcy e sua mãe, Vovó Maria Joana Rezadeira que, preocupados com a extinção do jongo na cidade, transformaram a antiga dança praticada nos quintais da Serrinha num espetáculo."


Dyone disse ainda que vai agora ao morro para ver a situação da sede da ONG, acompanhada da presidente do grupo, Maria de Lourdes Mendes, a Tia Maria do Jongo, a matriarca do trabalho, conhecida como Tia Maria do Jongo. A ONG funciona como uma escola de tradições afro, por onde já passaram mais de mil crianças e adolescentes. Atualmente a ONG atende 120 crianças do Morro da Serrinha.

Fonte: O Globo


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | JCpenney Printable Coupons