quarta-feira, 8 de abril de 2009

Círculo de Juventude Negras das Américas

Participantes do Colóquio Internacional: Desafios e perspectivas da Juventude Negra das Américas criam uma Articulação Internacional de Organizações de Juventude Negra e definem diretrizes para a intervenção na Conferência de Avaliação de Durban em Genebra.

por Thais Zimbwe*

Reunidos no Rio de Janeiro, de 03 a 06 de abril de 2009, cerca de 40 líderes jovens negros(as) das Américas participaram da primeira edição do Colóquio Internacional: Desafios e perspectivas da Juventude nas Américas. O evento foi uma realização da Organização Política UJIMA – Trabalho Coletivo e Responsabilidade, juntamente com seus parceiros e apoiadores, que avaliam de forma muito positiva a realização desta atividade.
“Proporcionar este espaço de interação e intercambio entre lideranças jovens negras foi uma experiência magnífica, e principalmente pelos ótimos resultados que foram alcançados. Debates intensos e bastante qualificados foram alguns dos destaques da atividade, que assume o compromisso, através dos(as) líderes participantes, com a multiplicação de seus resultados”, comenta Viviane de Jesus, Assessora de Programas da Heifer International, uma das agências apoiadoras do Colóquio.
Aprofundar as questões políticas que afligem os processos de organização social nas Américas, as implicações do racismo e da discriminação racial, sobretudo evidenciar as diretrizes de atuação política das organizações de juventude negra, foram alguns dos temas dos debates proporcionados pelo Colóquio. “Há muito tempo não era possível um espaço desta magnitude para discutir política, um espaço dessa qualidade com a participação de lideranças referências em seus países, analisando conjuntamente a conjuntura internacional”, ressalta Ramón Orlando, do Uruguai.
Dentro dos espaços de diálogos durante o Colóquio foi evidente a urgência em se estabelecer uma plataforma internacional da juventude negra que possa fortalecer e subsidiar as ações das organizações de juventude nos países das Américas, e, sobretudo que possa proporcionar maior incidência nos espaços de tomada de decisão, em níveis nacionais e internacionais.
Nesse marco, os(as) jovens participantes criaram o Circulo de Juventude Negra das Américas, um espaço que visa ser capaz de impulsionar uma plataforma política para desenvolvimento e empoderamento das comunidades e povos negros das Américas, tendo como princípio a solidez dos movimentos nacionais que dêem sentido às articulações regionais.
O nome Círculo foi estabelecido pelas perspectivas africanas de sua representação, o debate em movimento circular, possibilitar o giro da informação e da comunicação, são algumas das bases desse processo. “O Círculo é um princípio africano de organização das comunidades, estabelecer um espaço de construção política a partir desta perspectiva só potencializará nossas proposições”, explicou Grant Oliver Dacosta, do Canadá, durante os debates para a definição do nome da articulação.
Durante a construção foram estabelecidos pontos para uma agenda de trabalho do Círculo de Juventude Negra das Américas que envolvem incidência política, mobilização e visibilização das organizações de juventude negra. Como marco desta realização, foi definido o dia 03 de abril, como Dia da Juventude Negra das Américas, um dia que possibilitará a identidade juvenil negra e o pertencimento étnico-racial, onde serão desenvolvidas atividades e ações neste âmbito.
Na programação do Colóquio, grande parte da agenda foi direcionada para a reflexão e debates acerca da Conferência Mundial de Avaliação da Declaração e do Plano de Ação de Durban, programada para os dias 20 a 24 de abril de 2009, em Genebra, Suíça. Os(as) participantes contaram com contribuições para estas discussões de Jurema Werneck da ONG Criola e de Edna Roland, integrante do Grupo de Especialistas das Nações Unidas, ambas com ampla experiência nesse debate, que contribuíram de forma significativa subsidiando através das informações apresentadas, a participação da juventude negra durante a Conferência de Genebra.
Cinco participantes do Colóquio estarão na Suíça apresentando e incidindo a partir dos acúmulos proporcionados pela atividade, e apresentando as propostas da Juventude Negra presente no Colóquio ao Documento Final que vem sido discutido pelos Estados. A intervenção está situada especificamente em dois parágrafos, a idéia está organizada numa intervenção prévia entre os governos dos países participantes do Colóquio, delegados(as) da sociedade civil, além da própria intervenção dos(as) representantes do Círculo durante a Conferência.
Nos próximos dias será enviado à sociedade a Declaração Final do Colóquio e a Carta de Apresentação do Círculo de Juventude Negra das Américas, além de outras informações sobre a atuação da Juventude Negra das Américas na Conferência de Avaliação de Durban.

*Thais Zimbwe é jornalista, Coordenadora Geral da Organização Política
UJIMA – Trabalho Coletivo e Responsabilidade, e responsável pela realização do Colóquio.




Fonte: You Tube

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | JCpenney Printable Coupons