domingo, 19 de abril de 2009

Círculo Palmarino realiza o seu I Seminário Nacional - Por Joselício Júnior.


Entre os dias 10 e 12 de abril a corrente nacional do movimento negro Círculo Palmarino realizou na cidade de Serra/ES o seu I Seminário Nacional. A atividade contou com a participação de representantes dos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Bahia, Pará. Apenas Amapá não pode comparecer.

Estavam presentes na abertura representantes das entidades do movimento negro CONEN e Unegro; do Partido Socialismo e Liberdade e da Intersindical; além das Secretária de Direitos Humanos de Serra e de Cidadania de Vitória e Assessoria de Promoção da Igualdade Racial de Cariacica. Os trabalhos foram coordenados pelo anfitrião Gilberto Batista e passaram pela abertura mais de 80 pessoas.

Logo na sequência teve início a mesa “Da luta contra o racismo ao Socialismo”, coordenada pela companheira Ilma Viana do CP/ES, tendo como expositor o companheiro Fabio Nogueira do CP/RJ. A mesa aprofundou o debate sobre o papel da luta antiracista no enfretamento do capital e do neoliberalismo, sendo fundamental para o avanço desta luta a fusão do conceito raça, classe e gênero.

A noite de sexta-feira foi fechada com o lançamento do livro “A fuga”, de André Borges, ex-preso político, militante do Circulo Palmarino/RJ, vice-presidente do IPDH – Instituto Palmares de Direitos Humanos e do Movimento Nacional de Direitos Humanos. O lançamento foi movido a muita emoção, poesia e autógrafos. O livro retrata um pouco da resistência à ditadura militar e da organização dos presos comuns e políticos nas penitenciárias do Rio de Janeiro durante o regime militar.

No segundo dia do Seminário, a primeira mesa formada foi “A crise econômica, o povo negro e a centralidade da luta antiracista para construção da sociedade socialista”. Fizeram a exposição nessa mesa os companheiros Maykon Santos do CP/SP e Daniel, militante do PSOL/ES. Os trabalhos foram coordenados pela companheira Luciete CP/SP. Esse debate evidenciou como a população negra, pelos elementos históricos, sempre esteve em crise social sob o capitalismo e como é o setor mais vulnerável com o aprofundamento da atual crise econômica, pois são os primeiros a perder seus postos de trabalhos, são os que mais sofrem com o aumento da violência, com o extermínio e o encarceramento.

Após a mesa da crise, as mulheres palmarinas tiveram a iniciativa de se reunirem e formaram o Coletivo Nacional das Mulheres do Círculo Palmarino. Antes do início dos trabalhos no período da tarde de sábado, foi feita uma brilhante apresentação cultural do grupo de dança Space Dance do bairro da Lagoa, Jacaraípe, Serra.

A parte da tarde foi iniciada com a mesa “Concepção de movimento negro e frentes de ação: CONNEB (Congresso de Negras e Negros do Brasil), FONAJUNES (Fórum Nacional de Juventude Negra) e CONAPIR (Conferência Nacional de Promoção da Igualdade Racial)”. Os trabalhos foram conduzidos pela companheira Carolina CP/BA e fizeram parte da mesa os militantes: Lula CP/ES, André Borges CP/RJ e Juninho CP/SP.

Na sequência foram formados 5 grupos de discussão que aprofundaram o temário, no retorno os grupos expuseram o que acumularam e foi aberta uma rodada de intervenções para debater e tirar resoluções dos pontos polêmicos. Ao final dessa mesa foi aprovado como intervenção prioritária o FONAJUNES e CONNEB e uma participação crítica na CONAPIR, denunciando os seus limites.

O sábado foi encerrado com uma espetacular apresentação cultural do grupo da comunidade de religião de matriz africana, Grupo de Candomblé Congo Ogã Marcos. Após o jantar, tivemos as apresentações do Professor Léo, dançando James Brown, e Rodrigo do grupo de rap Anexo Verbal.

No domingo, último dia do seminário, os trabalhos foram iniciados com a mesa “Eixos político-pedagógicos do Círculo Palmarino: Raça, Classe, Gênero, Juventude e Espaço Urbano” a coordenação ficou por conta da companheira Marcela Prest CP/ES e formaram a mesa: Deusdete CP/SP, Carolina CP/BA, Fabio CP/RJ e Lula CP/ES. Esse debate permitiu aprofundar qual é o espaço e o sujeito concreto que a corrente define como prioritário para estabelecer canal e buscar enraizamento na sociedade.

A próxima mesa foi “Por um perfil e funcionamento do Círculo Palmarino: coordenação nacional e estaduais, inter-núcleos, núcleos, frentes de ação e planejamentos estratégico”, a coordenação foi feita pelo Marquinhos CP/SP e o expositor foi Edson Bonfim CP/BA. Essa mesa teve por finalidade apresentar um conjunto de proposições organizativas para a corrente.

O fechamento do Seminário ficou por conta da definição do Plano de Lutas e da formação da coordenação nacional da corrente. Segue logo abaixo as definições.

Plano Nacional de Lutas do Círculo Palmarino.

1. Não pague aos ricos, paguem a dívida histórica com o povo negro! Resolução contra a crise econômica.
2. Campanha Contra o Extermínio da Juventude Negra.
3. Apoio à Campanha Contra a Criminalização do Aborto.
4. Contra a criminalização dos Movimentos Sociais. – resolução
5. Carta da Juventude do Círculo Palmarino.
6. CONAPIR – resolução.
7. Luta Contra a Faxina Étnica – PPDU/Choque de Ordem.
8. Campanha Nacional Pró-Cotas Raciais.
9. Apoio a Jornada Contra a Carestia no Pará (Fórum Nacional de reforma urbana).

Coordenação Nacional

Executiva:
Coordenador Geral Nacional: Gilbertinho (ES).
Coordenador Nacional de Finanças: Juninho (SP).
Coordenador Nacional de Organização: Edson Bomfim (BA).
Coordenador Nacional de Formação Política: Fábio Nogueira (RJ).
Coordenador Nacional de Comunicação: Maykon (SP).

Segmentos:
Coordenador Nacional Sindical: Hamilton Assis (BA).
Coordenador Nacional de Juventude: Lula (ES), suplente: Rafael Digal (BA)
Coordenadora Nacional de Mulheres: Carol (BA), suplente: Ilma (ES).
Coordenadora Nacional de Movimentos Populares: Regininha (PA).

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | JCpenney Printable Coupons