sábado, 23 de maio de 2009

Relatório dos Seminários preparatórios para a Conferência Estadual e Nacional de Promoção da Igualdade Racial

Entre os meses de Abril e Maio, foi realizado 03 seminários preparatórios para as Conferencias de Cultura e Igualdade Racial, com a finalidade de se discutir políticas públicas num âmbito cultural, racial e social. O primeiro Seminário realizado no dia(.....) teve como tema “A Intolerância Religiosa”, onde tivemos a participação significante de várias representantes de terreiros em especial a Sra. Gerusmar Domingas, Sacerdotisa de um dos mais antigos terreiros da Região do Médio-Mearim e, da Coordenadora de Religiosidade do Coletivo de Entidades Negras/MA e do Sr. Biné Gomes técnico da Secretaria de Cultura do Estado do Maranhão onde o mesmo esclareceu a importância dos representante de terreiros na busca pelo seus direitos aos cultos afro enquanto religião e a luta pela contribuição aos direitos humanitários. Foi enfatizado também que a luta de política cultural e religiosa em parceria com o poder público fortalece a união dos grupos, onde através de informações se possa estar repassando conhecimentos aos mais novos fazendo com que os mesmos dêem continuidade de sua própria historia através da sabedoria dos mais velhos, cultuando suas crenças, e mantendo sempre acesa suas tradições.
Em seguida o Sr. Emanuel de Jesus, técnico da Secretaria de Cultura do Estado do Maranhão, relatou sobre a importância das conferências para a sociedade civil organizada, para reivindicar políticas públicas para as religiões de matriz africana. Sr. Emanuel de Jesus explicou também que um dos principais mecanismos para se efetivar políticas publicas de Cultura é utilizando-se do dialogo entre poder público e sociedade civil organizada, através de seminários, fóruns e conferências, saindo dos mesmos, propostas de forma democrática, pluralista e transparente.
No final foi passado um documentário sobre intolerância religiosa intitulado “Até Oxalá vai a Guerra”, um exemplo de amor e valorização a religião de matriz africana, feito em Salvador pelo Coletivo de Entidades Negras ( www.cenbrasil.org.br).
No segundo Seminário de Cultura e Igualdade Racial– segmento Cultura Popular, tivemos uma participação mais ativa, pois se fizeram presentes vários representantes de manifestações como: bumba- boi, mangaba, quadrilha, tambor de crioula, capoeira, grupos de hip hop, poetas e cantores locais. O Sr. Zezinho Casa Nova presidente da Rede bacabalense de Cultura - REBAC e idealizador dos seminários, foi o primeiro palestrante, fazendo um breve histórico da cultura popular local e de maneira clara e concisa explicou a importância de se estar discutindo sobre cultura popular, porque devemos preservá-la, como reivindicar esse espaço a sociedade e como nos tornarmos auto-sustentáveis. Houve uma participação considerável de questionamentos a respeito dos temas abordados e a insatisfação da plenária era visível no que diz respeito a falta de apoio do poder público para com os grupos mais carentes, no entanto são esses grupos que enriquecem a cultura com sua sabedoria e valores que são passados de geração para geração.

No terceiro Seminário de Cultura e Igualdade Racial, segmento- Políticas Publicas para o Movimento negro- foi apresentado o regimento da II CONAPIR pela Sra. Cristina Miranda, coordenadora do CEN/MA, onde foi discutido todos os capítulos de forma esclarecedora, fazendo com que todos os participantes tirassem suas dúvidas sobre o quanto é importante estarmos participando desse processo histórico. Tivemos a participação dos representantes dos quilombos, da Pastoral do Negro, do GNPR, do movimento GLBT, de grupos de mulheres, representantes de Terreiros, onde pudemos discutir sobre as questões quilombolas, saúde da população negra,a importância das mulheres negras dentro do contexto social e o que representa a Conferencia para o povo Negro.
Foi decidido por unanimidade pelos participantes, em comum acordo com as entidades presentes, CEN, GNPR, REBAC, GRUPO DE CAPOEIRA ZAMBI, REPRESENTANTE DOS QUILOBOS E REPRESENTANTES DE TERREIRO que se tirassem os delegados para participar da Conferência Estadual de Promoção de Igualdade Racial, pois diante da atual conjuntura, não haveria mais tempo pra se fazer um novo encontro.
Dos seminários foram tiradas algumas propostas pra serem levadas á Plenária das Conferências, tal qual segue abaixo:

INTOLERANCIA RELIGIOSA:

· Criação de um mapeamento dos terreiros locais;
· Elaboração de calendários religiosos com divulgação de cultos afro-brasileiros;
· Determinar uma data especifica para a CAMINHADA CONTRA A INTOLERÂNCIA RELIGIOSA;
· Criação de um departamento que centralize as manifestações de cultos afros dentro da Secretaria de Cultura.


MOVIMENTO NEGRO
· Capacitação para elaboração de projeto para as comunidades quilombolas;
· Criação de uma comissão de mulheres negras para ver o processo da criação da Secretaria da Mulher no Municipio de Bacabal;
· Divulgação das manifestações culturais dos quilombos;
· Expansão do movimento hip hop, como movimento cultural negro.


Bacabal, Maranhão 23 de Maio de 2009.

Cristina Miranda.
CEN -MA

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | JCpenney Printable Coupons