sábado, 28 de maio de 2011

Governo homenageia entidades e personalidades negras

Entidades e personalidades negras com notáveis serviços prestados no resgate e preservação da cultura africana foram homenageados ontem (26), no Museu Eugênia Teixeira Leal, no Pelourinho, em um evento de comemoração ao Dia da África, celebrado no dia 25 de maio. A homenagem da Secretaria da Justiça, Cidadania e Direitos Humanos (SJCDH) e da Secretaria de Promoção da Igualdade do Estado da Bahia (SEPROMI), faz parte da política do Governo do Estado de fortalecimento dos laços entre Bahia e África.

Na abertura da solenidade, os presentes fizeram um minuto de silêncio pelo falecimento de Abdias do Nascimento, um dos mais atuantes ativistas na luta conta o racismo que faleceu no último dia 24, aos 97 anos. Em seguida, foram cantados os hinos do Brasil e da África.

O secretário da SJCDH, Almiro Sena, ressaltou a dimensão simbólica do evento e sua importância para o resgate da memória e preservação da cultura africana no Estado. O secretário ainda destacou que a África deve ser vista como um local de oportunidades de passeio, trabalho e até de vida. Almiro Sena destacou o legado de Abadias do Nascimento e afirmou que o ativista “extrapolou todos os limites intelectuais e culturais imagináveis”. O recém empossado secretário da Sepromi, Elias Sampaio, destacou que o projeto político do Governo relaciona o desenvolvimento do Estado ao fim do racismo. Elias também citou a parceria com a SJCDH e afirmou que o fato de negros estarem ocupando lugar em secretarias é a prova de que o problema do racismo está sendo encarado com mais seriedade pelo Estado.

Certificação

Vinte e cinco homenageados receberam certificado personalizado em reconhecimento à importante contribuição para a manutenção das tradições africanas e um quadro de Abdias do Nascimento pintado por jovens da periferia de Salvador. Uma das homenageadas da noite, Makota Valdina, dividiu o prêmio com a comunidade do Engenho Velho da Federação. “ Esse é o lugar santo que me deu régua e compasso pra eu ser o que sou”.

Já o professor Jaime Sodré dividiu a homenagem com os três filhos angolanos que estavam na cerimônia. Outro homenageado da noite, Vovô do Ilê ressaltou a importância da iniciativa das secretarias de manter acesa as comemorações do Dia da África. Também foram homenageadas entidades religiosas e artísticas, como Ilê Axé Opó Ofonja, Filhos de Gandy, além de personalidades como Jorge Portugal, deputado Bira Coroa, além dos grupos de capoeira Angola e Regional.

Sessão Especial na AL

O som das canções em yorubá e a homenagem ao corajoso ativista na denúncia do racismo e na defesa da cidadania e dos direitos humanos dos descendentes da África espalhados pelo mundo, Abdias do Nascimento, abriram a Sessão Especial O Ano Internacional dos Afrodescendentes – organizada pela Comissão Especial de Promoção da Igualdade da Assembleia Legislativa do Estado da Bahia, na quinta-feira (26). O evento fez parte das atividades alusivas ao Dia da África – celebrado oficialmente em 25 de maio.

Presidida pelo deputado estadual do Partido dos Trabalhadores, Bira Corôa, a sessão contou com a participação do embaixador de Cabo Verde, Daniel António Pereira; dos adidos culturais José Carlos Lamartine e Ayowumi Olayanju – representando as embaixadas de Angola e da Nigéria, respectivamente; dos secretários estaduais da Justiça, Cidadania e Direitos Humanos, Almiro Sena, e da Promoção da igualdade, Elias Sampaio; do secretário municipal de Salvador, Ailton Ferreira; além de representantes de religiões de matrizes africanas, evangélicos, parlamentares, servidores públicos e sociedade civil.

Na abertura da sessão, o deputado Bira Corôa entregou uma placa em homenagem a Egbomi Nice de Oyá, do Terreiro da Casa Branca, pela ação que ela desenvolve dentro do candomblé. A homenagem foi realizada diante de saudações em línguas africanas, seguidas de canções que ressaltavam o povo africano. Emocionada, ela agradeceu a homenagem e pediu ao professor Jaime Sodré para ler o discurso que ela tinha feito em agradecimento.

Diante da plenária, o secretário Almiro Sena destacou a riqueza do ato que foi realizado. Ele confessou que considerava a cena uma das belas que já tinha assistido – na forma e no conteúdo – em termos de cerimônia, de simbolismo e de fé. “O que poderia retratar melhor a força do povo da Bahia, de Angola, da Nigéria e do Cabo Verde do que esta cena belíssima? Um eminente professor acadêmico, dos maiores e dos melhores como é o professor Jaime Sodré, ao lado da nossa Egbomi Nice delegando a ele os poderes maiores de representá-la na homenagem e no agradecimento?” perguntou o secretário aos participantes.

O secretário também aproveitou a oportunidade para homenagear Abdias Nascimento pela sua trajetória na avanço da causa anti-racista. “O professor ultrapassou os limites de qualquer dimensão étnico-racial, religiosa, intelectual ou mesmo nacional. O professor é um daqueles homens cujo fato de ter nascido no seio de determinado povo, com certeza transforma esse povo, só por isso, em um povo diferenciado. Abdias Nascimento foi um gênio não apenas no intelecto, mas foi uma força moral inabalável, uma força do espírito. Uma liderança diferenciada que uniu, une e sempre unirá milhões de corações brasileiros em todos os cantos do mundo. Comemorar o Dia da África lembrando Abdias Nascimento sintetiza bem toda a dimensão do que o povo do Brasil deve ao nosso continente africano”, disse Almiro Sena.

No final da sessão, o deputado Bira Corôa, anunciou que Salvador deve sediar as comemorações nacionais pelo Dia da África a partir do próximo ano. O parlamentar levou a Brasília, no último dia 11, a minuta do protocolo de intenções do governo baiano propondo a transferência dos atos oficiais, mantendo contatos com o governo federal e as embaixadas dos países africanos.

Fonte: http://www.sjcdh.ba.gov.br/

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | JCpenney Printable Coupons