domingo, 28 de julho de 2013

Primeira ministra negra da Itália é atingida por bananas em ato de violência racial



Cécile Kyenge, 48, é a ministra italiana da Integração há oito meses

Gianni Cipriano/The International Herald Tribune
Cécile Kyenge, 48, é a ministra italiana da Integração há oito meses; ela vem sendo alvo de racismo desde que assumiu o cargo


Após ser comparada com um orangotango pelo vice-presidente do Senado, Roberto Calderoli, a ministra de Integração da Itália, Cécile Kyenge, de origem congolesa, foi alvo de outro ato de intolerância e desprezo na noite de ontem, quando foi atingida por duas bananas lançadas por militantes do movimento Força Nova, da extrema direita.
Os fatos ocorreram em uma festa do progressista Partido Democrata (PD), o mesmo do primeiro-ministro Enrico Letta, na cidade de Cervia, no nordeste do país, informou neste sábado a imprensa italiana.
Um desses integrantes da Força Nova, que já tinha aquecido o ambiente com uma manifestação na última quinta-feira, lançou duas bananas em direção ao palco em que a ministra discursava, embora sem atingi-la fisicamente.
Sem dar importância ao gesto, Cécile usou o Twitter para comentar o ato. "Com tantas pessoas morrendo de fome por causa da crise é triste desperdiçar comida assim", afirmou a ministra na mensagem divulgada por sua equipe assistente, a qual confirmou o ocorrido.
Dado o alto nível de crispação gerado na extrema direita em torno da primeira ministra negra da Itália, a polícia estava alerta em relação à possíveis ataques contra Cécile, mas, mesmo assim, não conseguiu evitar essa agressão.
"Havia um grupinho de opositores, mas ninguém viu. Saíram logo em seguida. A ministra não comentou o episódio de modo particular porque é uma pessoa educada", afirmou os jornalistas Paola de Micheli, do PD, que estava presente no momento do ato.
Um dia antes, na quinta-feira, no mesmo local da festa do PD, militantes da Força Nova também colocaram três bonecos sujos com tinta, que simulava ser sangue, ao lado de panfletos contra o plano do governo italiano de conceder nacionalidade aos filhos de imigrantes nascidos na Itália. Segundo os militantes da extrema direita, "a imigração mata".
O lançamento de bananas se soma aos últimos episódios ofensivos dos quais a ministra italiana já foi vítima, a começar pelo comentário lançado pela ex-conselheira da separatista Liga Norte, Dolores Valandro, o qual valeu sua expulsão do partido além de uma condenação de 13 meses de prisão e três anos de inabilitação por instigação a atos de violência sexual por motivos raciais.
Na noite do último dia 13, o vice-presidente do Senado, Roberto Calderoli, também da Liga Norte, gerou uma grande polêmica no país ao comparar a ministra negra com um orangotango.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | JCpenney Printable Coupons