segunda-feira, 9 de setembro de 2013

Caminhada contra a intolerância reúne 2 mil em Copacabana


Rio – Cerca de 2 mil pessoas de várias religiões e credos participaram na tarde deste domingo (08/09) na Praia de Copacabana, no Rio, da 6ª Caminhada em Defesa da Liberdade Religiosa, promovida pela Comissão de Combate à Intolerância Religiosa do Rio.
O padre Fábio Luiz de Souza, representando a Igreja Católica, a religião com maior número de fiéis no Brasil, disse que é preciso ampliar o conhecimento de todas as crenças. “Para acabar com a intolerância, é preciso principalmente se conhecer mutuamente e derrubar quaisquer barreiras e preconceitos”, afirmou.
Já o presidente da Comissão, babalaô Ivanir Santos, destacou o fato da Caminhada mostrar o conjunto das religiões. “A gente tem que defender o Estado Democrático de Direito, e levar em conta que, além de religiosos, somos todos cidadãos. A democracia no Brasil tem que se consolidar e compreender que a religião não tem que se impor ao Estado Laico. Ela pode sugerir, mas respeitar o espaço de todos. Essa é uma riqueza da sociedade brasileira em que temos que insistir", disse o babalaô que, na recente do Papa Francisco, esteve com o Pontífice.
O babalaô comemorou a adesão de algumas denominações evangélicas. “O desafio é avançar e convencer os segmentos evangélicos de que temos que estar todos juntos", acrescentou.
A ministra chefe da SEPPIR, socióloga Luiza Bairros, acompanhou a caminhada e pediu aos líderes que apoiem o Plano Nacional de Proteção à Liberdade Religiosa que está sendo proposto pelo Governo Federal.
"São atores políticos importantes os que estão aqui e devem nos ajudar a tornar realidade esse plano, uma realidade que se faz não somente em função de nossas iniciativas [do governo federal], mas pelas possibilidades de envolver os governos estaduais e prefeituras, porque, sem elas, o plano não se realiza", afirmou a ministra.
Por sua vez, o representante budista, Marcos Eduardo Purificação disse que a religião só faz sentido se houver tolerância. “A importância dessa Caminhada é demonstrar respeito acima de qualquer diferença. Se não conseguirmos superar essas diferenças, não há porquê termos religiões mais. Cada um tem que expor o que tem de melhor", enfantizou, acrescentando que defende o ensino religioso nas escolas, como uma forma de mostrar todas as formas de fé.
Crédito das fotos: Agência Brasil, Portal G1

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | JCpenney Printable Coupons